Esqueceu a senha?
Sem conta? Criar Conta!

O que pensa do projecto para os arranjos exteriores do Largo da Igreja?
 
Início arrow Artigos arrow O Tempo não apaga o Passado

O Tempo não apaga o Passado
Escrito por José Martins Esteves   
15-Jul-2007

Escola e jogos

Lembro os tempos de escola mais de quarenta alunos uma só professora, seria possível hoje?

Os jogos da bola, à cabra cega, à bilharda, ao ringue, ao lenço, à semana, aos cinco cantinhos, ao berlinde, às escondidas, à corda, à cabra cega, ao fito, à fisga, à funga, ao saco, estes jogos poderão ser um dia bem passado.

Escola
Image


Religião

Recordo a catequese, os tempos em que ajudadava à missa, o Sagrado Lausprene, com tantos arcos feitos de pinheiros e depois forrados com verduras, era lindo e todos ajudavam, do mais pequeno até ao mais idoso. A procissão com fogueirinhas feitas com pinhas no percursos onde passava o Santíssimo, o mês de Maio à noite na igreja com o terço e a recolha das flores que cada um levava, por duas ou três raparigas, aquelas canções ao encontro de Maria com o regaço cheio de flores. Era um lindo mês de Maria.


Trabalho

Os ranchos da azeitona e a moagem - quem não fez uma taborna (molhar pão no azeite novo) no lagar. A sementeira das searas, as ceifas, os alqueves (preparar o terreno para novas searas) e as debulhadeiras nas eiras, o grão e a palha e colmo (palha para fazer as baraços para fazer os molhos), a sacha do milho, as leiras e regas, o debulhar do milho com a mangueira a moagem no lagar pelo lagareiro Elias, a resina tirada dos pinheiros por um grupo de homens e jovens da terra, eu era um deles, antes do dia da liberdade (25 de Abril de 1974) era de sol a sol, o mel dos cortiços, a água-mel que os que tinham ofereciam aos jovens que não tinham, recordo-me beber na casa do Tio José Caseiro, e tio Luís Pequito, vinho era pouco mas havia, os alambiques a fazerem água ardente.

Image

A ribeira

Quem não foi à ribeira no verão, quando as mães iam à ribeira lavar os cobertores, para nós era um dia de sonho, mergulhar numa poça e apanhar uns peixinhos e tomar um banho a sério, porque nessa altura poucos tinham onde tomar banho em casa.

A fonte

Quem não foi à fonte, buscar uns cântaros de água, para lá se encontrarem com algum amigo ou alguém em especial, e a Mãe ou Avó à espera da água para cozer as couves, ou os feijões, fonte que já não deitas água mas não te deixes ir porque tens que guardar, as asas dos cântaros que se partiram, e os segredos que só tu ouviste, gasta-se muita água a regar jardins, será que uma fonte não poderia dar água a quem passa? Tem que ser só com contador.

Image

Os bailes

Quando eu cantava para uns pares dançarem, ou o meu saudoso Irmão (Manuel António) tocava flauta ou ao som de um gira discos a pilhas, na eira do Ti Manuel Morgado ou na garagem do Ti Manuel Pequito. Se aquela garagem falasse!... Ou mais tarde na casa do povo.


A bola

O estádio da lameira, os jogos com as terras vizinhas: Proença-a-Nova - Vale-de-Água - Moitas - São Pedro, quantas botas não se romperam lá, chuteiras ninguém tinha.

Os Paliteiros


Rancho "Os paliteiros"

O Padre António que nos ensinou na casa do meu Avô João Esteves casa que hoje é da minha cunhada Nazaré, as fotos que só agora vi será que há mais onde eu me possa rever?

Recordo um dia de ensaios nas escadas que agora estão escondidas a ouvirmos o festival Internacional da canção onde António Calvário cantava «quis saber quem sou e o que faço aqui» em 1974.

Aqueles que puderem escrevam sobre qualquer um destes temas, ou outros que eu não mencionei aqui, porque o nosso passado deve ser falado, escrito e revivido, porque faz bem a nós que o vivemos e pode ser que os nossos filhos e netos queiram aprender a jogar ao ringue, ou outro jogo qualquer.

Um abraço a todos os nossos conterrâneos espalhados pelo Mundo, em especial a todos aqueles que por força maior não possam vir ao nosso cantinho, que recebam desta janela um consolo uma bênção do nosso Padroeiro São Marcos e Nossa Sª de Fátima.

José Martins Esteves


Visualizações: 38230

  Comentários (3)
 1 os tempos ke nao vivi.......
Escrito por Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o JavaScript terá de estar activado para que possa visualizar o endereço de email , on 08-08-2007 15:01
:grin ola a todos os visitantes assiduos da nossa pagina, foi com grande satisfação, alegria e uma certa saudade ke li o artigo que o meu tio escreveu, como todos podem ver, principalmente aos mais novos, nakeles tempos havia muitas formas de se divertirem, e formas essas muito saudaveis, nada comparado com hoje em dia, dos jovens de hoje, kem sabe ceifar o pão, kem saber colher resina,kem sabe cozer e amasar o pão enfim....estas e muitas outras coisas, mas hoje em dia nao é nada dakilo ke ja foi e ke vcs mais velhos tem akela grande saudade guardada no peito, mas pronto a vida continua os tempos mudam, so tenho pena da juventude de hoje em dia gastar o precioso tempo livre a ficar dentro de casa a jogar computador na internet a jogar jogos etc...etc...etc...etc...e akeles muinhos de vento ke se faziam com as troças do milho...e uma lata de atum furada com uma linha atada a fazer de "carroça" e uma funga ou fisga pa lançar umas pedras....mas pronto hoje é hoje hontem foi hontem, adorei muito os textos ke o meu tio aki escreveu, alias como tenho gostado de todos os artigos ke ele aki tem escrevido, a todos o meu bem aja e muitos comprimentos a todos um abraço carlos esteves :)
 2 Obrigado pela Oportunidade!!!!
Escrito por Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o JavaScript terá de estar activado para que possa visualizar o endereço de email , on 17-08-2007 18:36
Olá!!! 
Estou na Suiça com minha mãe e queria comentar que nunca pensei ver tanta Alegria nos seus olhos como no dia em que viemos ver o Nosso Pergulho na net. 
Até lhe vieram as lágrimas aos olhos quando teve oportunidade de rever muitas fotos da sua juventude... 
Tentar descobrir quem eram aquelas pessoas e confesso que fiquei surpreendida com as pessoas que ela ia descrevendo... 
è sem dúvida Maravilhoso para quem´está muito longe sentir se perto do seu cantinho e das pessoas que nunca se esquecem!!! 
Muito Obrigado e continuem a enviar fotos e a descrever as realidades antigas que sem duvida são estranhas para nós mas que apesar de novos conseguimos entender que eram sem dúvida mais saudáveis e os tempos eram muito melhor aproveitados. 
Todos juntos podemos aprender. Não deixem morrer essa forma de viva muito diferente mas que fez parte da vida dos nossos pais. Um beijão do tamanho do Mundo para todos os Pergulhenses que se encontram lá e fora de lá mas com o Coração Sempre lá!!!![B]null[/B][B]null[/B]
 3 Escrito por Sara Guerra, on 29-04-2008 13:56
Adoro o Pergulho.com! Sou uma criança de 8 anos e penso que deve ser :sigh ele ter morrido! Eu percebi que ele era o "presidente" do pergulho! :grin :grin  
é a 1º vez que venho aqui. 
Beijos, a festa foi um máximo!

Apenas ulilizadores registados podem adicionar comentários.
Por favor registe-se.

Powered by AkoComment Tweaked Special Edition v.1.4.6
AkoComment © Copyright 2004 by Arthur Konze - www.mamboportal.com
All right reserved

 
 
© 2008 Pergulho.com
Powered by Joomla!